Microsoft Viva: a sua experiência digital otimizada

Nos últimos dois anos e meio a transformação do trabalho obrigou os profissionais e as organizações a uma nova forma de estar. Hoje, os complementos da palavra trabalho são “remoto”, “híbrido” e “flexível”.

Vladislav Michkov - Junior Change Management Consultant

Vladislav Michkov
Junior Change Management Consultant
Claranet Portugal

O trabalho flexível foi uma necessidade imposta pela pandemia, um futuro que se estabeleceu mais cedo e veio para ficar. As pessoas querem mais flexibilidade, mas, ao mesmo tempo, os benefícios do trabalho presencial, o que implica uma série de mudanças organizacionais - como repensar o espaço físico, promover uma cultura de organização digital, capacidade de gestão de talento, otimizar a experiência do colaborador e o papel da tecnologia junto dos mesmos.

A pandemia alterou as expectativas e as necessidades das pessoas; estas já não escolhem os seus desafios profissionais apenas com base na localização ou salário, mas também na perspetiva de flexibilidade e bem-estar pessoal.
Será que existe uma nova força negocial do lado do colaborador?

Segundo um estudo feito pela Microsoft - “Work Trend Index” - no qual participaram 30 mil inquiridos de 31 países:

73%

dos colaboradores querem opções de trabalho flexível para permanecerem nas organizações

80%

dos líderes planeiam fazer grandes alterações às suas políticas de trabalho flexível

67%

dos colaboradores querem voltar ao formato presencial

41%

dos colaboradores estão a considerar a mudança para outras funções ou empresas quando a pandemia terminar

Também no estudo realizado pela Mckinsey - “What employees are saying about the future of remote work” - podemos verificar uma crescente preocupação com os temas da flexibilidade e bem-estar.


Remote Work

Tendo em conta estas estatísticas, as equipas de RH procuram responder e adaptar-se às alterações:

  • digitalizando os processos, de modo a fazer evoluir a cultura da empresa e com o objetivo de melhorar a experiência do colaborador, juntamente com a utilização dos insights e dados para uma melhor gestão de talento;
  • procurando promover o bem-estar, que passou a ser uma necessidade muito urgente em todas as organizações, tendo em conta o aumento de casos de burnout e stress que a pandemia nos trouxe;
  • procurando agir sobre a diversidade e a inclusão de pessoas dentro das organizações.

Analisando diferentes necessidades e perspetivas, os colaboradores procuram mais opções de flexibilidade, têm propósitos renovados depois da pandemia e pretendem sentir-se mais conectados e mais alinhados com o propósito e a missão da sua empresa.

Por sua vez, os gestores e líderes deverão entender que a forma como criam o “engage” com os colaboradores deve ser revista, encontrando uma abordagem moderna e digital de acompanhar as pessoas ao longo da sua jornada - desde que entram na organização, até que saem.

Por último, as TI querem dar resposta a estes desafios das organizações, capacitando uma experiência moderna sem ter que substituir os sistemas que têm “dentro de casa”.

É, portanto, fundamental a existência de uma nova abordagem e de uma nova categoria de soluções tecnológicas chamada Employee Experience Platform (EXP) – ou, mais concretamente, Microsoft Viva.

Microsoft Viva

É uma plataforma digital pensada para as acompanhar e para fornecer aos profissionais os recursos digitais necessários para prosperarem ao longo da sua jornada, agregando os sistemas de trabalho que as organizações diariamente utilizam (aplicações do Microsoft 365 - Teams, aplicações do Office 365, etc.).

É, portanto, uma resposta costumizável de acordo com diferentes perfis, que permite às empresas repensar a experiência do colaborador.

Associado a um espaço de trabalho cada vez mais flexível e cada vez mais tecnológico, as organizações definirão como prioridade o aumento da destreza digital dos seus colaboradores, garantindo elevados índices de produtividade, capacidade de inovação e a desejada velocidade de transformação. Como conclusão, colaboradores, clientes e o negócio como um todo serão beneficiados.

Os quatro módulos do MS Viva:

Microsoft Viva Connections

Connections - liga o colaborador à cultura e à comunicação, oferecendo a capacidade de selecionar o conteúdo e as ferramentas relevantes, por meio de acesso rápido a dados e tarefas, notícias, comunicações, pessoas e recursos

Insights - Traz novas experiências de produtividade, associando a componente do bem-estar. Apresenta planos de melhoria ao profissional, tendo em conta os padrões de trabalho que o poderão ajudar a proteger o seu tempo, para uma gestão mais equilibrada e promotora desta produtividade, tornando essa relação mais sustentável a longo-prazo.
Managers e líderes recebem informação “desinformada”, do ponto de vista dos padrões de trabalho definidos para as respetivas equipas, para poderem agir e antecipar burnouts, ou períodos de fraca produtividade.

Microsoft Viva Insights
Microsoft Viva Learning

Learning - Permite o acesso, numa única fonte de curadoria, aos diferentes conteúdos formativos, como por exemplo o LinkedIn Learning. Facilita a clarificação dos trajetos de aprendizagem e promove a componente social ou de learning, para entender quais são os tópicos de maior procura na organização, incluindo a recomendação de conteúdos e a sua gestão visual.

Topics - Este módulo utiliza Inteligência Artificial para pesquisar e identificar tópicos numa organização. Além de uma breve descrição de cada tópico, os utilizadores podem encontrar informação sobre especialistas e outras pessoas envolvidas nesse mesmo tópico, sites, ficheiros e páginas com informação relacionada.

Microsoft Viva Topics

Abordagem Claranet

Como promotora de uma visão de Modern Workplace, a Claranet preconiza uma transformação das organizações assente na velocidade e na agilidade de processos – fatores que encaixam no Microsoft Viva, neste caso como “catalisador” no acompanhamento desta nova era de flexibilidade e bem-estar pessoal.

Com esta abordagem garantimos a transição tecnológica das organizações, a promoção de uma cultura digital e de conhecimento adaptativo, mas, mais relevante, construir a base sólida de um futuro (presente) de evolução contínua.

Written by Vladislav Michkov - Junior Change Management Consultant

Com um Mestrado em Gestão com especialização em Serviços pela Universidade Católica Portuguesa, Vladislav Michkov possui um interesse especial por tecnologia, em específico nas áreas de automação, otimização de processos, lean management e Change Management, possuindo uma certificação em metodologia PROSCI.

Solicite mais informações