David Grave aponta as principais tendências de cibersegurança para os próximos cinco anos

David Grave - Cybersecurity Director - Claranet

David Grave
Cybersecurity Director - Claranet Portugal

Num artigo de opinião publicado na Computeworld Portugal, o Cybersescurity Director da Claranet falou das áreas em que as organizações se deverão focar para enfrentar os desafios de segurança.

O aumento considerável dos ciberataques a nível global elevou as preocupações com a cibersegurança ao nível do C-Level, levando as organizações a aumentar o investimento em soluções para mitigar esses riscos.

Em artigo de opinião publicado no âmbito de um “Especial Cibersegurança” da Computerworld Portugal, David Grave recorre a dados da IDC e da Brandessence Market Research and Consulting para destacar o crescimento do mercado de cibersegurança nos próximos cinco anos (12,5% de crescimento anual previsto, em média), elencando as principais áreas de atuação em relação às quais as organizações deverão estar atentas:

Legislação mais complexa

As organizações terão de se adaptar a legislação nacional e comunitária mais complexa e exigente, criada para enfrentar ciberataques cada vez mais sofisticados e impactantes.

Legislação
Mobile Development

Supply chain digital

A (ciber)segurança deverá ser uma prioridade e fazer permanentemente parte dos processos de desenvolvimento das aplicações, mas também dos workflows que envolvem a utilização e a partilha de informação, o uso de software, das infraestruturas e de dispositivos.

Mais do que tecnologia

Os investimentos em cibersegurança deverão contemplar a contratação de serviços de resposta a incidentes e análises forenses, ultrapassando assim a falta de recursos especializados, mas também programas de security awareness para reforçar as competências dos colaboradores das organizações.

Security
Cybersecurity

Ciber-resiliência

Uma vez que será impossível alcançar a segurança completa no domínio digital, as organizações deverão promover a sua ciber-resiliência, abordando este tema a partir de uma abordagem holística, sistemática e colaborativa.

Diferenciação competitiva

Quanto melhor preparadas estiverem as organizações para responder aos ciber-riscos da digitalização acelerada, mais diferenciadoras poderão ser face à concorrência,
transformando a adoção das medidas de cibersegurança numa vantagem competitiva.

Diferenciação competitiva

A partir destas tendências, o Cybersescurity Director da Claranet considera imperativo que os conceitos e práticas de cibersegurança - a ciber-resiliência e a análise de riscos - sejam adotadas pelas organizações, de forma a estarem preparadas para enfrentar estes e outros desafios de cibersegurança.


Written by David Grave - Cybersecurity Director

Com mais de 15 anos de experiência nas áreas de engenharia de TI, segurança e compliance, David Grave tem pautado o seu trabalho pela participação em projetos na área da Cibersegurança, que ajudam a gerir, reduzir e mitigar os riscos nas organizações.

O seu percurso profissional inclui trabalhos em Testes de Penetração, coordenação de equipas de Crise, Critical Security Controls, Auditoria e Implementação de Roadmaps, Digital Forensics and Incident Response (DFIR), bem como Simulação de ataques de Phishing e de Engenharia Social.

Além de um Certificado em Data Protection Officer (DPO), David apresenta certificações e qualificações profissionais em Hacking de Infraestruturas, Web Hacking e Análise Forense.