As várias faces da Cloud e a revolução do pay-per-use

Cloud - Claranet Portugal

As tecnologias de Cloud introduziram novas formas de as organizações usarem as TI nas suas operações, com soluções financeiras quase nunca vistas até à data. O pay-per-use é disso exemplo.

A Cloud possibilitou às empresas tirarem partido de novos modelos operacionais on-demand e de usufruir da tecnologia de acordo com as suas reais necessidades, “sem o fardo dos grandes investimentos iniciais e com vantagens ao nível da capacidade adaptada ao momento, escalabilidade, custos e rentabilização permanente do investimento”.

Num artigo de opinião publicado na revista IT Channel de dezembro, Rui Caeiro, Business Development Manager – Enterprise Services na Claranet Portugal, reforça o valor-acrescentado que a Cloud representa na estratégia de TI de qualquer organização, embora defenda que nem sempre esse valor é integralmente assumido pelos decisores.

Como é apanágio em cada salto de maturidade e inovação, o mercado teve de se adaptar a este novo paradigma e reestruturar os modelos mais tradicionais com que as organizações trabalhavam há décadas.

Na opinião de Rui Caeiro, a evolução natural das arquiteturas tradicionais das organizações passa por maior flexibilidade e agilidade tecnológica, algo que uma aposta na Hybrid Cloud permitirá alcançar.

O representante da Claranet considera fazer sentido esta aposta quer em cenários on-premise, quer em soluções de Edge. “Esta solução justifica-se também noutros cenários com necessidades mais específicas, como questões relacionadas com latência, preocupações ao nível da segurança e soberania de dados, ou mesmo cumprimento de regulamentação ou legislação específica associadas ao sector de atividade.”

A integração da Cloud Privada com vários providers de Cloud Pública permitirá usufruir do melhor que cada um tem para oferecer, seja ao nível das soluções tecnológicas ou dos custos, seja em relação à garantia dos níveis de resiliência desejados.

O Business Development Manager – Enterprise Services da Claranet preconiza assim a adoção de uma estratégia multicloud assente em vários fornecedores, tendo como base protocolos standard entre os fabricantes, modelos de gestão adequados e dimensionados às necessidades, que permitam flexibilidade e segurança nos processos de migração dos workloads entre as diferentes plataformas de Cloud.

“Essa escolha não se deverá reger exclusivamente por critérios associados a tendências e buzzwords tecnológicos, mas através do levantamento de necessidades concretas (de preferência mensuráveis), que permitam definir etapas adequadas a cada fase da estratégia delineada” – defende Rui Caeiro, lembrando que “a escolha de um parceiro de referência é, por isso, fundamental para garantir o sucesso do processo de transformação digital.”

in IT Channel

Cloud

Written by Rui Caeiro - Business Development Manager - Enterprise Services

Rui has more than 20 years of solid experience with extensive knowledge of the IT industry and deep understanding of critical business drivers. His work reveals a proven track record in leading high-performance teams and helping customers achieving success in their digital transformation journey.