Cibersegurança: nova realidade pode potenciar negócio das empresas

Em entrevista ao Jornal de Negócios, António Ribeiro, Cybersecurity Manager da Claranet Portugal, explica como as empresas podem transformar as novas ciberameaças em oportunidades.

As equipas de cibersegurança são vistas hoje como essenciais para acrescentar valor ao negócio das organizações, uma vez que as práticas de proteção acabam por beneficiar também os clientes. Esta é a visão de António Ribeiro sobre o novo paradigma dos riscos online associados às empresas, numa altura em que a exposição causada pelo aumento significativo do trabalho remoto é cada vez maior.

O especialista em Cybersecurity falou da nova visão de muitas empresas sobre este tópico, de novos tipos de ameaças e de novas ferramentas de proteção, sem esquecer a importância crescente que a formação dos utilizadores possui para ajudar a mitigar esses perigos.

Sobre as novas ameaças, os ataques de ransomware e “fileless” foram considerados dos mais importantes, devido sobretudo ao comportamento dos utilizadores, que continuam a ser a principal porta de entrada para os cibercriminosos:

Se eu quiser atacar uma empresa não o vou fazer diretamente ao seu datacenter; é mais fácil fazer uma pesquisa numa rede social, tentar perceber o que as pessoas andam a fazer e criar um domínio semelhante ao da empresa visada. Depois, é só lançar uns emails às pessoas que mostraram ter comportamentos mais vulneráveis.”

António Ribeiro considera ainda que é essencial aumentar a sensibilização dos responsáveis das PME para os novos perigos, já que são estas as empresas que passaram a ser o principal alvo dos ataques, como ponto de partida para atingir empresas de maior dimensão.

Segurança a dobrar

Durante a entrevista ao Jornal de Negócios, o representante da Claranet destacou também a nova geração de ferramentas de segurança que integram os seus serviços de Security.
António Ribeiro destacou a importância de soluções como o Pulse, que monitoriza todo o perímetro online exterior das empresas, bem como dos serviços de monitorização sobre o Microsoft Sentinel, disponibilizados pela Claranet no seu Security Operations Center (SOC).

Entre a nova geração de soluções e serviços de cibersegurança está também a prática de behavioral analysis, que analisa em tempo real o comportamento dos colaboradores como forma de detetar ataques de mais complexidade.

Basicamente faz-se uma análise aos comportamentos típicos de determinado utilizador, num determinado departamento de uma empresa, em busca de padrões anómalos. Se esse comportamento for muito diferente do que é normal, provavelmente significa que há um ataque.”

A entrevista do cybersecurity manager da Claranet Portugal ao Jornal de Negócios terminou com a importância da formação aos colaboradores pelas empresas. Segundo António Ribeiro, é fundamental que esta formação seja proporcionada no processo de entrada dos colaboradores e que se mantenha de forma contínua: “Quanto mais os colaboradores estiverem envolvidos nos processos de segurança, mais protegidas estarão as empresas” – concluiu.

Entrevista completa no Jornal de Negócios

Esclareça as suas dúvidas connosco

Fale com um membro da nossa equipa

Ligue-nos através dos números 707 50 51 52 para falar com um membro da nossa equipa comercial ou de suporte.