A tecnologia de Virtual Desktop no contexto de trabalho remoto

A recente pandemia que afeta a globalidade dos países teve no trabalho remoto uma das principais medidas para proteger os cidadãos e assegurar, na medida do possível, a continuidade do funcionamento da economia.

A rapidez com que o vírus se propagou e a forma como apanhou grande parte das organizações desprevenidas, acabou por testar a capacidade das empresas, de colocarem em prática os seus planos de continuidade de negócio (Business Continuity Plan). A principal medida passou por munir de imediato os colaboradores com capacidades de trabalho em mobilidade, ao mesmo tempo que a segurança nas comunicações remotas era acautelada com soluções de colaboração seguras.

No entanto, foi percetível que muitos destes desafios não estavam, na sua globalidade, previamente contemplados no plano estratégico e de continuidade de negócio de grande parte das organizações.

O que nos leva a crer que a chave para as organizações alcançarem a eficiência e o sucesso está em adquirir a agilidade e flexibilidade necessárias para distribuir o esforço, eliminar ineficiências como os tempos de deslocação entre a residência e o local de trabalho, bem como na capacitação da força laboral.

O posto de trabalho virtual

Há já alguns anos que existem várias opções disponíveis para garantir o acesso remoto a um posto de trabalho ou a uma rede corporativa. A opção mais comum assenta na atribuição de um laptop pela empresa ao colaborador, o que favorece a mobilidade, embora gere muitos desafios na gestão do equipamento e da sua ligação à rede empresarial.

A tecnologia de Virtual Desktop Infrastructure (VDI), também conhecida por Virtual Desktop ou posto de trabalho virtual, sem ser propriamente nova, tem ganho nos últimos anos bastante tração por parte das organizações, existindo já um número elevado de empresas que utiliza desktops virtuais como principal ponto de acesso aos seus sistemas e plataformas corporativas.

O atual ponto de evolução da tecnologia VDI apresenta inúmeras vantagens para os projetos de trabalho remoto das empresas - acompanhadas, como é óbvio, de alguns desafios.

Alguns dados recentes, relativos ao mercado Europeu e global, permitem perceber o nível da adoção desta tecnologia e as vantagens das VDI face a outras soluções de Workplace baseadas em desktops:

ABR2020_RMeRC_vdi_inside.png

Face a este nível de adoção e às vantagens associadas, é essencial a existência de uma equipa de Information Technology (IT) experiente em VDI ou, em alternativa, colaborar diretamente com uma empresa especializada neste sector para configurar e manter a solução. Caso contrário, todo o sistema pode ficar comprometido e as interrupções no serviço serão, regra geral, generalizadas a toda a organização.

A lógica das VDI

O chamado posto de trabalho virtual permite que os utilizadores acedam de forma remota ao seu ambiente de trabalho, obtendo a mesma interface gráfica e um acesso aos seus documentos como se estivessem no seu computador do escritório. A diferença é que o sistema operativo e os dados estão armazenados numa rede externa.
Normalmente este tipo de acessos é feito através de computadores Desktop ou Laptop, mas podem também ser usados tablets, smartphones e qualquer outro dispositivo com acesso à Internet.

Uma das vantagens diretas desta solução é o aumento de vida útil dos equipamentos usados, uma vez que grande parte do processamento computacional é feito nos servidores centrais. Os departamentos IT podem assim prolongar o ciclo de vida útil desses postos de trabalho, redirecionando os equipamentos com menor desempenho para servir como terminais VDI, o que vai permitir o planeamento e a aquisição de dispositivos mais modernos.

Para os developers, por outro lado, a opção por VDI permite-lhes aceder aos laptops para testes em diferentes perfis de utilizadores finais.

Mobilidade e produtividade

A tecnologia de Desktop Virtual encaixa em diferentes cenários laborais, já que oferece mais-valias ao nível da velocidade de acesso à informação, segurança, rapidez de adoção e flexibilidade.

Para as empresas que apostam em políticas de Bring/Choose Your Own Device (BYOD & CYOD) - que permitem aos colaboradores utilizar os seus próprios equipamentos no local de trabalho -, os desktops virtuais eliminam a necessidade de instalar aplicações no equipamento pessoal do utilizador. Isto acelera o seu acesso ao ambiente de trabalho virtual, onde estão disponíveis as aplicações corporativas, sem necessidade de qualquer tipo de configuração adicional.

Uma vez que todos os dados residem na Cloud e não no terminal, há também benefícios significativos de segurança na utilização de VDI. Alguém mal-intencionado que se apodere de um laptop de um utilizador de VDI não irá conseguir obter os dados corporativos, uma vez que estes residem no ambiente de trabalho remoto.

Outro cenário é o das empresas que necessitam de expandir temporariamente a sua força laboral, recorrendo a recursos humanos em regime de outsourcing, ou de forma sazonal. Nestes casos o ambiente de VDI pode ser alargado rapidamente para acesso imediato dos colaboradores aos ambientes corporativos e às respetivas aplicações, por vezes em questão de minutos. Uma situação que destoa dos dias ou semanas necessárias para a aquisição de postos de trabalho e configuração dos respetivos equipamentos e aplicações.

O suporte simplificado a colaboradores remotos ou com elevada mobilidade é mais um dos contextos laborais no qual o recurso à tecnologia VDI se encaixa. Quer sejam comerciais, equipas de projeto no terreno ou executivos fora das instalações da empresa, por exemplo, os utilizadores conseguem aceder a um ambiente de trabalho virtual e trabalhar com a mesma eficiência como se estivessem na organização.

Para os utilizadores finais, a parte mais atraente da mudança para um sistema de desktop virtual é a capacidade de trabalhar a partir de qualquer lugar, em condições de interação com a informação semelhantes às que encontram quando estão no escritório.

Já em termos de negócio, as principais vantagens na mudança de sistemas operativos tradicionais para uma plataforma de VDI está na redução de custos de investimento e operacionais, na segurança dos utilizadores finais, assim como na melhoria dos processos de gestão.

Soluções e diferentes necessidades

Antes de optar por uma solução de VDI é importante identificar as reais necessidades de trabalho – atuais e futuras –, de modo a optar por uma solução flexível o suficiente para se adaptar a contextos operacionais variados - em simultâneo ou em diferentes períodos.

O papel do provider é essencial não só para fornecer uma solução moderna de Virtual Desktop Infrastructure, mas também para garantir os serviços de consultoria, arquitetura e desenho, implementação, gestão da plataforma e suporte aos utilizadores que fazem parte de uma implementação deste tipo.

A Claranet trabalha com algumas das principais plataformas de DVI a nível mundial - Amazon WorkSpaces, VMware Horizon Cloud e Azure WVD (Windows Virtual Desktop) Azure WVD (Windows Virtual Desktop) - disponibilizando soluções transversais integradas de utilização remota, incluindo consultoria e suporte permanente aos utilizadores.

.

Written by Ricardo Moreira - Workplace Managed Services Manager

With more than 15 years of experience in Information Technology industry, Ricardo Moreira is passionate for information, communication and stimulating business challenges. He has built an extensive background in planning, implementing and supporting innovative, cost-effective technological solutions.

Written by Rui Caeiro - Engineering Manager Enterprise Services

Rui has more than 20 years of solid experience with extensive knowledge of the IT industry and deep understanding of critical business drivers. His work reveals a proven track record in leading high-performance teams and helping customers achieving success in their digital transformation journey.

Esclareça as suas dúvidas connosco

Fale com um membro da nossa equipa

Ligue-nos através dos números 707 50 51 52 para falar com um membro da nossa equipa comercial ou de suporte.